18 PERGUNTAS HONESTAS DE UM ATEU SINCERO (PARTE 1)

PERGUNTA 1: Se a nação de Israel foi escolhida por Deus, por que pregar o evangelho? Por que há menos evangélicos se Deus escolheu outro povo?


RESPOSTA: A nação de Israel foi escolhida com um propósito de salvar outras pessoas, levando o conhecimento do Deus Verdadeiro aos povos pagãos da época (que sacrificavam até mesmo os próprios filhos a deuses pagãos – ver Jeremias 7:31). Veja esse texto:
“O SENHOR Todo-Poderoso diz: – Vai chegar o dia em que moradores de muitas cidades virão até Jerusalém. Os moradores de uma cidade dirão aos de outra cidade: “Nós vamos adorar o SENHOR Todo-Poderoso e pedir que ele nos abençoe!” E os outros responderão: “Pois nós vamos com vocês!” Muitos povos e nações poderosas virão a Jerusalém para adorar o SENHOR Todo-Poderoso e pedirem que ele os abençoe.” - Zacarias 8:20-22 (Versão bíblica: Nova Tradução Na Linguagem de Hoje – NTLH)
O propósito de Deus com Abraão, pai da nação Israelita, (que foi chamado de Ur dos Caldeus) era abençoar não apenas uma nação, mas, o mundo:
Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” Gênesis 12:3 (Versão bíblia: Almeida, Revista e Atualizada – ARA. Será a referência padrão da presente resposta)
Com base nisso podemos chegar a duas conclusões:

(1) Deus não faz acepção de pessoas (Romanos 2:11). Ele chamou Abrão (depois, Abraão) por que naquele contexto cultural era o homem com o coração mais susceptível ao chamado Divino; (2) O número de pessoas que pertencem ao número de evangélicos é mais uma questão do livre-arbítrio (ver Jeremias 21:8) do que de planejamento de Deus.

PERGUNTA 2: Por que existem tantas guerras em Israel?

RESPOSTA: Algumas das principais razões, no aspecto religioso, são:
(1) O exclusivismo (crença de que são os “únicos” chamados por Deus) contribui para que as disputas em torno de questões políticas e sociais sejam acirradas;
(2) A falta de uma interpretação correta dos textos bíblicos, sem levar em conta que os escritos do Antigo e Novo Testamento se completam (2 Timóteo 3:16).
(3) Negação da Divindade de Cristo (Colossenses 2:9), que os faz não aceitar os ensinamentos dEle (de Jesus Cristo) referentes ao amor e à tolerância:
“Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus.” Lucas 6:35.
Falta de amor, fanatismo e politicagem resumem de certo modo as razões dos constantes embates em Israel.

PERGUNTA 3: Por que não se encontra a expressão “Bíblia” nos escritos considerados inspirados?

RESPOSTA: A palavra Bíblia não consta realmente por ser um termo de origem grega. Do grego bíblos, Bíblia significa “livros” e abrange todos os livros que compõem a lista de Escritos considerados inspirados no decorrer de milênios. O que consta no original é a palavras “Escrituras” (2 Pedro 3:16, por exemplo) que, de acordo com o significado grego (língua em que no Novo Testamento foi escrito) quer dizer “coisa escrita” (grego graphe). Devido a tais peculiaridades, tal termo pode ser sinônimo á palavra Bíblia.

PERGUNTA 4: Por que existem tantas religiões?

RESPOSTA: Questões de extrema importância estão envolvidas nessa pergunta. Eis alguns fatores para a existência de várias religiões:
(1) O ser humano é religioso por natureza. Estudos o comprovam (na área da Antropologia Descritiva em especial) ao nos mostrarem que o ser humano possui várias crenças e um desejo dentro de si adorar algo superior a ele mesmo. Essa propensão (hoje ela está doente por causa da desobediência humana às leis naturais de Deus) – diríamos assim – leva o ser humano a elaborar crenças e teorias filosóficas para explicar a origem da vida e o final dela.

(2) Não uso de um único critério para a interpretação da Bíblia. O método correto que aprendemos nas próprias Escrituras é analisar o contexto de um verso e o conjunto de versículos que tratam do mesmo assunto (Lucas 24:27, 44) – antes de chegar-se a uma conclusão. Essa falta de critério contribui significativamente para cada pessoa achar-se no direito de ler a Bíblia do jeito que quer.

(3) Falsidade humana. Em muitos casos as pessoas escolhem uma religião não para mudarem de vida e sim para adaptar um sistema religioso ao próprio modo de viver. Seria como eu dizer para mim mesmo: “já que essa igreja não ensina a observância do Sábado como dia sagrado irei para ela, pois, preciso trabalhar nesse dia”. Perceba caro amigo que igreja se torna uma questão de “conveniência”.

Mesmo sabendo que em todas as igrejas há pessoas sinceras e que amam a Deus; e tendo a convicção de que há algo de bom em todas elas, não acredito na existência de várias verdades religiosas pelo fato de, filosoficamente, duas coisas contraditórias não poderem ser verdadeiras ao mesmo tempo.

____________________
Na Mira da Verdade (Adaptado) - Neste link está disponibilizado o artigo original e completo. Caso queira mais informações sobre os assuntos abordados, entre em contato pelo e-mail conectandoaoblog@gmail.com 

Clique nos links para ler: Parte 2, Parte 3, Parte 4 e Parte 5

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANTOS ISRAELITAS REALMENTE DEIXARAM O EGITO?

O TRILEMA DE EPICURO E A ORIGEM DO MAL

OS EVENTOS HISTÓRICOS QUE DETERMINARAM AS CIRCUNSTÂNCIAS DOS DIAS DE JESUS