18 PERGUNTAS HONESTAS DE UM ATEU SINCERO (PARTE 3)

PERGUNTA 12: Por que acreditar no inferno se essa palavra foi acrescentada na Bíblia pela igreja Católica?

RESPOSTA: Tem toda a razão: a palavra inferno foi acrescentada na Bíblia. Os tradutores, por influência da crença grega na imortalidade da alma, colocaram no Livro um termo latim que nada tem a ver com as noções hebraicas sobre o “mundo dos mortos” (sepultura). Tal doutrina – de um inferno a atormentar pessoas – faz com que as igrejas fiquem cheias mais por causa do medo do que pelo amor a Deus. Ela, inclusive, também é uma das principais razões pela qual muitas pessoas perdem a fé e tornam-se ateias. (...)

PERGUNTA 13: Se Jesus é Deus como ele pode ser filho de Maria?

RESPOSTA: Jesus já existia antes de Maria (Miquéias 5:2; Isaías 9:6). Desse modo, a filiação de Cristo é apenas na encarnação – quando Ele teve que se tornar “carne”, ou seja, ser humano – para morrer pelos atos errados da humanidade (pecados). Deus é o legislador dos Dez Mandamentos (Isaías 33:22; Tiago 4:12) e, por isso, somente Ele poderia pagar a pena (morte – Romanos 6:23) pela desobediência do ser humano. Por causa disso qualquer pessoa que exercer fé no sacrifício substitutivo de Jesus (como resultado precisa viver como uma pessoa de fé) será salva.

A encarnação é um mistério revelado, mas, não explicado (Romanos 1:1-3 e 14). Ao mesmo tempo é fantástico sabermos que Deus, na Segunda Pessoa da Divindade, veio a esse mundo e aproximou-se da nossa realidade para nos levar para a realidade dEle!

PERGUNTA 14: Alguns evangélicos dizem que o dízimo era uma lei apenas para os dias do Antigo Testamento. O que diz a respeito? Como provar que alguém vai para o céu depois da morte se pessoa alguma voltou para dizer-nos como é a morte?

RESPOSTA: O dízimo bíblico é algo real, mas, nada tem a ver com os ensinos dos teólogos da prosperidade que exploram as pessoas e acabam dando uma roupagem feia ao belo ato de dizimar. Os irmãos evangélicos que afirmam ser o sistema de dízimos apenas uma lei para o Antigo Testamento ignoram Mateus 23:23.

Dizimar é reconhecer que Deus é o dono de tudo (Salmo 24:1) e obedecer ao pedido dEle (Malaquias 3:8-10) para que contribuamos para o benefício de outras pessoas. Por meio do dízimo, as pessoas podem trabalhar em tempo integral (1 Coríntios 9:13, 14) pela missão da pregação do evangelho (Marcos 16:15), disponibilizar gratuitamente materiais e possibilitar que a esperança também chegue às pessoas nos lugares mais difíceis deste mundo.

Perceba que, quando empregado de forma séria, o dízimo se torna uma bênção para a família e para a sociedade.

O céu

A realidade de um Paraíso é correta quando aceitamos o ensino bíblico de que só desfrutaremos das belezas celestiais quando Jesus voltar pela segunda vez (Hebreus 9:28), de maneira gloriosa (Apocalipse 1:7) para buscar os seres humanos (João 14:1-3). As pessoas que morreram precisam primeiro ser ressuscitadas para depois irem para um lugar especial chamado Céu (ver 1 Tessalonicenses 4:13-18). A crença de que na morte a pessoa está em um estado de consciência é anti-bíblica (Salmo 6:5) e nega a necessidade de uma ressurreição corporal (1 Coríntios 15:51-55). Além disso, ignora o fato de que na Bíblia a morte é comparada a um sono (Daniel 12:13; Jeremias 51:57; João 11:11-14) até a volta de Cristo (1 Tessalonicenses 4:13-18).

____________________
Na Mira da Verdade (Adaptado) - Neste link está disponibilizado o artigo original e completo. Caso queira mais informações sobre os assuntos abordados, entre em contato pelo e-mail conectandoaoblog@gmail.com

Clique nos links para ler: Parte 1, Parte 2, Parte 4 e Parte 5

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

QUANTOS ISRAELITAS REALMENTE DEIXARAM O EGITO?

O TRILEMA DE EPICURO E A ORIGEM DO MAL

OS EVENTOS HISTÓRICOS QUE DETERMINARAM AS CIRCUNSTÂNCIAS DOS DIAS DE JESUS